Seguidores

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Na curva da grande roda


Recebi esse texto via email da amiga Leila do blogger ....Palavras   e compartilho com vocês...
Texto escrito semana após  tsunami de 11 de março de 2011....

Na curva da grande roda

Aquele chuveiro com pouca água me lembrava todo dia que eu precisava trocá-lo. Pena que assim que eu saia do banho eu me esquecia. E aí, só à noite, na hora do outro banho, eu me lembrava novamente. Eu precisava trocar aquele chuveiro. Puxa, eu precisava trocar tanta coisa naquela época.
Trocar o meu cabeleireiro que sempre cortava o meu cabelo daquele mesmo jeito medíocre só porque um dia deu certo. Trocar de calçada quando estivesse voltando do trabalho porque eu nunca gostei da cara daquele sujeito da loja da esquina. E ainda tinha aquela minha jaqueta manchada que eu usava há uns 10 anos e que precisava muito ser trocada.
Acabei não trocando nada disso. A vida me trocou de lugar e em segundos tudo aquilo que ficou tanto tempo na espera para ser trocado, mais aquilo que acabara de chegar, que acabara de acontecer, foi trocado. Foi abruptamente surpreendido por uma troca gigantesca. 
Assim sem nenhum aviso, nem uma mensagem no celular, nem um tempo para eu me despedir da minha boa e velha vida, tudo foi trocado. E eu fiquei aqui, sem saber se avisava para mim mesma ou se pedia o telefone de alguém. Enquanto recebia as visitas de tantos, enquanto sentia as pessoas que me tocavam, me apertavam e me desejavam força, meu cérebro tentava entender que capítulo era aquele tão desconexo da minha história. Nada batia, nada encaixava. Não era para eu estar ali, aquele lugar não era meu. 
Troquei de casa, troquei de lugar com alguém que eu não reconheço, mas este alguém veste a minha pele e pensa com o meu cérebro. Onde foi parar todo mundo? Para onde todo mundo foi? Minha família, meu cachorro e meus discos agora guardados no pen drive do meu chaveiro e este corpo que ainda dizem  que é meu tentando juntar os seus cacos. 
Por um instante me lembrei do gorro vermelho do meu filho voando, do balanço que tínhamos no fundo do quintal e da minha vizinha que usava um casaco de lã.
Talvez seja difícil para você entender porque é que eu chamo de trocar e não de perder, já que nada vai voltar a ser como antes. Eu explico. Hoje visto jaquetas de alguém que ficou para sempre naquele lugar e habito um lar feito com o que restou daquele instante. Tenho dois filhos que assim como eu sobraram e uso um chuveiro que foi de alguém que nem imagino. Tudo foi trocado. Meu filho, meu cachorro e minha jaqueta se foram para algum lugar que desconheço ainda. Enquanto o mundo girava, fui jogada nesta curva em que me encontro agora. Troquei completamente de lugar.
Já não me interessa mais onde foi parar o meu balanço e meu novo filho balança nos meus braços. Filhos que eu não pari, casacos que eu não escolhi, trocas que a vida me deu. Talvez para que eu entenda que nada, absolutamente  nada do que me rodeia é meu. 

Leila Rodrigues - para uma gente que eu nunca vi, mas que senti.


24 comentários:

  1. Ola Sandra, que texto chocante, que me tocou profundamente. ainda ontem em uma conversa com uma amiga lembrávamos desse episódio triste que chocou o mundo. Me faltam até palavras para expressar meus sentimentos. Abraços e fica com Deus

    ResponderExcluir
  2. Uau!
    Nos faz refletir a vida e tudo que precisamos mudar ou deletar da vida, para que ela seja melhor...posso copiar o texto?
    Quero enviar para amigos...beijinhos linda amiga

    ResponderExcluir
  3. Tremendo este texto Sandra!!
    Nos convida a viver a plenitude das pequenas coisas, pois o amanhã é incerto.

    Obrigado por compartilhá-lo conosco!!
    Uma excelente quinta-feira para ti!
    Bjs


    "Vive mais feliz quem tem olhos capazes de escutar o canto amoroso da simplicidade.É nas miudezas que tudo aquilo que realmente importa se revela com maior nitidez."Ana Jácomo

    ResponderExcluir
  4. Leila foi maravilhosa,mais uma vez nesse seu texto.

    Belíssimas reflexões! Beijos,tudo de bom às duas,chica

    ResponderExcluir
  5. QUERIDA SANDRA,
    AMEI O TEXTO, UMA GRANDE LIÇÃO, ÓTIMO PARA REFLETIR!

    BEIJOS,
    FICA COM DEUS!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, muito triste!!Que nos leva a refletir e muito!!
    Mas, apesar de tudo,Deus é nosso Pai!!!
    Beijos no coração!Soninha.

    ResponderExcluir
  7. Acho que precisamos ler e entender,que não temos nada aqui,e a hora é agora,porque os segundo a frente ja não nos pertence.Emociona o que aqui li e em pouca palavras muito aprendi.

    ResponderExcluir
  8. Sandra,

    Agradeço por divulgar. Algumas imagens da tragédia ficaramnaminha cabeça e enquanto eu não escrevi não melhorei. Desejo, de coração, que essas pessoas consigam descobrir um novo sentido em viver, depois das trocas que tiveram.

    Beijos para você!

    E obrigada a todos pelos comentários

    ResponderExcluir
  9. Que texto fantástico!!! Q sensibilidade, que forma emocionante de usar as palavras! Não sei se estou sensível, mas chorei...

    Uma ótima sexta pra vc!

    Luiza Mallmann
    decorarsustentavel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza, também chorei muito quando o escrevi. Faz parte!

      Abraços

      Leila

      Excluir
  10. Querida Sandra,
    AMEI o texto!!! É bom para parar e refletir um pouco... Parabéns!!!
    Grande beijo, Irene

    ResponderExcluir
  11. oi Sandra,

    espetacular a Leila,
    e espetacular você que dividiu com a gente essa maravilha,
    refletir muito...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Somos mutáveis, praticar o desapego é uma forma de se evoluir. Bjos.

    ResponderExcluir
  13. Sandra
    Que texto triste chorei qdo li. NA REALIDADE NA VIDA NADA NOS PERTENCE. NÃO ESTAMOS PREPARANDO PARA ESTA MUDANÇA BRUSCA. MAIS A VIDA NOS ENSINA A SER MAIS SOLIDÁRIO COM AS OUTRAS PESSOAS.UM FELIZ FIM DE SEMANA. BJ NO TEU C ORAÇÃO
    BRISA

    ResponderExcluir
  14. Ola querida..obrigado pela visita..adorei o seu cantinho..
    Claro que pode participar do sorteio..Ja sou seguidora..
    Beijos da Bruxinha

    ResponderExcluir
  15. Oi Sandra, esse texto da Leila me emocionou muito. É incrível o quanto nos preocupamos com coisas insignificantes e não paramos para pensar que precisamos fazer o melhor por nós mesmos e pelo próximo, pois aqui estamos só de passagem. É incrível como nos distanciamos de quem amamos mesmo morando debaixo do mesmo teto: pais, filhos, irmãos, marido...e que podemos a qualquer momento nem estar mais ali ou um deles não estar mais ali....a vida é um sopro e precisamos aproveitar todo o tempo que temos fazendo o melhor que podemos.
    Amei o texto da Leila, tocou bastante...
    Bjos e feliz sábado pra vc!

    http://baudaarteira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Leila, tenho outro blog agora, só de mensagens e poesias.
    Se puder, dê uma passadinha lá. Te espero, Flor.

    Bjos no coração.

    http://gotasdesimplicidade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. San querida que presente vc nos deu com esse lindo post e lindas palavras, me fez refletir sobre muitas coisas que aconteceram em minha vida, independente de mim, uma reflexão que chegou na hora certa. Obrigada por compartilhar conosco algo que foi enviado a vc. Lindo amei. Bjos e um excelente final de semana. Bjos

    ResponderExcluir
  18. Cada pessoa com seu jeito,seu desejo
    mostra no seu espaço ,o que sente,o
    que gosta e o que vive,e aqui vejo o que tem de belo,e vc tem tudo que eu admiro,Adoro visitar seu Blog,pq me
    traz alegria.
    Tenha um bom final de semana bjuss
    com carinho Rita!

    Ameii o post é muito bom !!

    ResponderExcluir
  19. Sandra que coisa linda de texto..foi legal você dividir..a gente crescer lendo coisas assim tão lindas e profundas.....
    Cada um de nós temos uam vida para viver e mostrar o que sente seu coraçao..hoje postei uma foto do Felix bebezinho..Vai lá ver....beijos para voce...e rorons do Felix para Nina..
    titi

    ResponderExcluir
  20. Sandra: Tocou profundamente meu coração esse texto, é importante darmos valor ao que Deus nos dá todos os dias todos os momentos, numa fração de segundos tudo pode ser "trocado" nossa vida é fio tenue e instável.

    Obrigada pela viita a meu blog, volte sempre será um prazer.
    beijos,
    Léah

    ResponderExcluir
  21. A ressurreição deu sorriso nasceu com o dia
    Ah este inverno que abraça a primavera
    Este céu que arroxa meu peito
    Estas negras pedras plantadas na terra

    O curso do meu errante espirito
    Levou-me ao infinito e ao incomensurável
    Este orvalho das pequenas coisas
    Recorta meu corpo a golpe de cisel

    Ocultei meus sonhos numa porta da eternidade
    Porque o desespero é voo baixo e sinuoso
    Vi ontem dois amantes jurarem uma partilha de vida
    Vi olhos que irradiam luz em gesto assombroso

    Um imenso abraço

    ResponderExcluir
  22. Maravilhoso!!! uma segunda de luz para ti
    juliana

    ResponderExcluir

Deixe o seu ♥♥♥

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...